Beja: José António Falcão preside à International Commission of Sacred Art (ICSA), no âmbio da Europae Thesauri .


José António Falcão foi eleito para presidir à International Commission of Sacred Art (ICSA), no âmbio da Europae Thesauri . Durante a última assembleia geral de ET, realizada a 12 de Novembro, foi eleito para presidir a esta comissão internacional decisão agora ratificada. Trata-se da primeira vez que um cidadão nacional exerce tais funções.

jose-ant-falcao_800x800José António Falcão (ao centro na foto) tem defendido uma estratégia de abertura à sociedade como algo essencial para a salvaguarda de patrimónios religiosos em risco.

Com sede na catedral de Liège, na Bélgica, Europae Thesauri é uma instituição paneuropeia que congrega os principais museus e monumentos religiosos da Europa, assumindo particular presença em países como a Alemanha, Bélgica, Espanha, França, Itália, Luxemburgo, Países Baixos, Portugal, Reino Unido, Roménia e Suíça.

Na qualidade de organismo assessor junto de diversas instâncias europeias, esta entidade vem realizando uma acção destacada para a salvaguarda do património cultural em risco, contribuindo para o aprofundamento e a divulgação dos apoios e mecanismos comunitários que regulam o sector. É também importante a sua intervenção em domínios como a investigação científica e a criação de rotas culturais.

Entre os organismos que funcionam no âmbito de Europae Thesauri, destaca-se a International Commission of Sacred Art (ICSA). Durante a última assembleia geral de ET, realizada a 12 de Novembro, foi eleito para presidir a esta comissão internacional o português José António Falcão, decisão agora ratificada. Trata-se da primeira vez que um cidadão nacional exerce tais funções.

Conservador de museus e professor universitário, Falcão é técnico superior do Ministério da Cultura e está à frente, desde 1984, do Departamento do Património Histórico e Artístico da Diocese de Beja. Especialista em arquitectura e arte cristãs, tem assumido a defesa da abertura do património religioso à sociedade, assim como a valorização do seu papel no desenvolvimento dos territórios de baixa densidade e uma estratégia conjunta para a salvaguarda dos lugares de culto do Cristianismo, do Judaísmo e do Islão.

José António Falcão escolheu precisamente a emergência de uma visão transversal e ecuménica sobre a herança religiosa como a “prioridade número um”, nos próximos três anos, da Comissão Internacional de Arte Sacra. A luta contra o abandono do património rural é outro dos projectos sobre a mesa. Conta-se, para isso, com uma “frente ibérica”: Portugal e Espanha avançam em conjunto no alertar das entidades europeias para o potencial deste sector e os problemas que o mesmo enfrenta em diferentes estados da União.


Share This Post On
468x60.jpg