Beja: Novos helicópteros da Força Aérea fora dos fogos, revela Ministro da Defesa.


Os dois novos helicópteros Koala AW119, que foram ontem entregues à Força Aérea Portuguesa (FAP), na Base Aérea (BA) 11, em Beja, pelo Ministro da Defesa “não fazem parte” do Dispositivo de Combate a Incêndios Rurais (DECIR).

João Gomes Cravinho justificou que “podem atuar numa situação excecional de emergência”, tendo em conta que se destinam às missões da FAP, nomeadamente “busca e salvamento e formação”, isto apesar de o “apoio ao combate aos incêndios rurais”, apesar de o ministro ter feito essa referência no seu discurso.

Quanto aos restantes três Koala, que deverão substituir os seis Alouettes ao serviço na atualidade,  ainda não há data marcada.

O titular da pasta da Defesa, sustentou que o DECIR “é identificado pela ANPC, que terá este ano 61 meios aéreos” apesar de ser a Força Aérea que vai ter “o comando e gestão” dos mesmos, e quando questionado sobre o porquê da não integração Cravinho atirou: “isso terá que perguntar à ANPC”, concluiu.

Para 2019 o Governo dispõe, segundo o ministro, “vinte e dois meios aéreos do Estado” e mais “trinta e nove alugados”, justificando que “com estes meios” o DECIR “não terá problemas”, rematou.

Quanto aos seis Kamov, o Ministro da Defesa revelou que “não estão equacionados para 2019. Um está acidentado e os outros precisam de reparações de fundo que demoram muitos meses”, acrescentando que estão em aberto dois concursos “o primeiro com helicópteros Alouette e o segundo com um lote de meios muito alargados”, assegurando que a seleção “será feita no final deste mês”, justificou.

João Gomes Cravinho mostrou-se convicto de que “entre 2020 e 2022, vamos começar a constituir a própria frota do estado para combate aos incêndios rurais”.

Quando questionado sobre a localização da frota de combate a incêndios no DECIR do corrente ano, Cravinho justificou que “a decisão ainda não está tomada, mas deverão ser espalhados por diversos pontos (leia-se Bases Aéreas) do país, para operar onde houver incêndios”, disse.

Relativamente aos novos meios aéreos, o Ministro da Defesa revelou que serão deslocados para a Base de Sintra, “no reajustamento militar da FAP, com vista a aumentar a capacidade do Aeroporto de Lisboa, do que decorre do futuro Aeroporto Complementar de Lisboa, no Montijo”, rematou. 

Frases soltas de João Gomes Cravinho

“Este ano o Dispositivo de Combate a Incêndios Rurais ao nível d meios aéreos terá um custo de 80 milhões de euros”.

“Os cinco helicópteros Koala custaram 20 milhões de euros, temos opção para mais dois, mas só tomaremos a decisão no final do correte ano”.

“A futura Lei de Programação Militar trará não só novas capacidades às Forças Armadas, mas também oportunidades no que toca ao desenvolvimento de parcerias na área tecnológica e industrial”.

Teixeira Correia

(jornalista)


Share This Post On
468x60.jpg