Beja: “Rei das Farmácias” julgado por burla à Segurança Social.


“Rei das Farmácias”, acusado de desfalcar as Farmácias Pancada, em Mértola e Pacheco, em Beja, e outras vinte em todo o País, foi julgado e absolvido no Tribunal de Beja.

Nuno Alcântara Guerreiro, conhecido como o “Rei das Farmácias”, que está acusado de ter falido 22 farmácias e de ter dado um desfalque superior a 63 milhões de euros, foi julgado no Tribunal de Beja, pelo crime de abuso de confiança contra a Segurança Social de forma continuada.

Juntamente como farmacêutico, no banco dos réus esteve também a Sociedade Farmacêutica do Guadiana, Unipessoal, Lda, proprietária da Farmácia Pancada, em Mértola, da qual o arguido era o gerente.

Segundo a acusação, Nuno Alcântara Guerreiro, reteve 11.777,25 euros, passando a dispor desse montante, que diziam respeito aos descontos das contribuições devidas à Segurança Social, referentes aos vencimentos dos funcionários da farmácia.

A sociedade arguida e o arguido foram notificados em setembro de 2013 para procederem ao pagamento voluntário da verba em dívida, mas não o fizeram. Posteriormente e na sequência do Processo de Insolvência da empresa, foi homologado um plano de pagamentos, onde foi aceite a liquidação da divida em prestações.

Na data do julgamento estavam pagas 38 das 150 prestações, uma das razões que levou a juíza Susana Esteves, a absolver a Farmacêutica do Guadiana e Nuno Alcântara Guerreiro. Como testemunha foi ouvido José Fernando David Parreira, gerente de direito da sociedade que afirmou “ser o arguido o gerente de facto da sociedade”.

O que corrobora a tese da Unidade de Combate à Corrupção da PJ, quando desencadeou em março de 2012 a operação “SOS Pharmácias”, que levou à detenção de Nuno Alcântara Guerreiro, que terá adquirido e falido vinte e duas farmácias em nome de testas de ferro, depois de ter deixado um rasto de dívidas a bancos e a fornecedores de medicamentos.

Na Farmácia Pancada, em Mértola, o desfalque terá atingido os 2,9 milhões de euros, que serviram para adquirir um Aston Martin DB7 e um BMW Série 3 Coupé.

No rol das falências no distrito, encontra-se também a Farmácia Pacheco, em Beja, que sofreu um rombo de 1,7 milhões de euros.

Teixeira Correia

(jornalista)


Share This Post On
468x60.jpg