CIMBAL: (Des)construir para a Economia Circular.


Realizou-se em formato digital através da plataforma Zoom, uma reunião de trabalho dos parceiros nacionais responsáveis das atividades do projeto.

Para além da CIMBAL, fizeram-se representar: LNEG – Laboratório Nacional de Energia e Geologia; FCT NOVA – Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade NOVA de Lisboa; Instituto Politécnico de Portalegre – Laboratório de Economia Circular do Alentejo e a Irradiare.

Foi efetuado o ponto de situação da execução das diversas atividades, assim como a respetiva calendarização.

Foi ainda dada a conhecer a página de internet do projeto, com o seguinte endereço: www.desconstruir.pt.

O principal objetivo deste projeto, que nasceu no seio do Fórum da Economia Circular do Alentejo, é promover uma estratégia regional para a reutilização de produtos e componentes de construção, bem como a reciclagem de resíduos de construção e demolição (RCD), reduzindo assim o impacto ambiental da construção e promovendo a sua circularidade.

No âmbito do projeto, pretende-se elaborar regulamentos municipais de construção; guia de auditorias de pré-demolição e modelo de passaporte de materiais; um modelo matemático para otimizar a localização de instalações de armazenamento de RCD e envolver os agentes da região na criação de uma rede sustentável de processamento, distribuição e comercialização de RCD.

Sendo a CIMBAL – Comunidade Intermunicipal do Baixo Alentejo a promotora, conta também com o apoio da CCDRA – Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Alentejo, e integra também estes parceiros: Resialentejo, EIM; Smart Waste Portugal; RDF Construções, Lda.; Cercibeja; International Development Norway (Noruega); National Centre for Sustainable Production and Consumption (Roménia) e ENVIROS, s.r.o. (República Checa)


Share This Post On
468x60.jpg