Criminalidade 2017: moeda falsa, incêndios e burlas disparam


O Relatório Anual de Segurança Interna (RASI) de 2017, regista um aumento de 3,3% da criminalidade geral e uma diminuição de 8,7% da violenta e grave. No distrito de Beja os resultados acompanham os nacionais.

Os crimes de moeda falsa, incêndios florestais e burla fora os que mais contribuíra para o aumento de 3,3% da criminalidade geral em 2017. No ano passado foram registadas mais 11.078 ocorrências criminais (330.872 para 341.950) Em contrapartida, os crimes violentos e graves registaram uma diminuição de 8,7%, com menos 1.458 ocorrências (16.761 para 15.303).

Na criminalidade violenta e grave as maiores descidas foram nos distritos de Vila Real (-33%), Coimbra (-27,5%), Setúbal (-12%), Lisboa (-9,7%) e Porto (-7,8%; -190). A subir estiveram os distritos da Guarda (+35%), Évora (+26%) e Portalegre (+19%).

Do distrito de Beja no que se refere a ocorrências, há o registo de 4.015 participações, mais 177 do que em 2016, o que corresponde a um aumento de 4,6%. Quanto à criminalidade violenta e grave, registaram-se 98 casos, menos 16 do que no ano anterior, o que significa uma baixa de 14%.

Ao longo de 2017 foram registados 279 casos de violência doméstica, mais 12 do que em 2016, o que significa um aumento de 4,5%.

No caso do tráfico de pessoas, o SEF investigou 37 casos em Portugal, um dos quais no distrito de Beja, existindo a sinalização pendente/em investigação de duas ocorrências, com 24 vítimas, uma com 11 adultos de origem romena e outra com 13 adultos de origem moldava.

O documento revela que comparativamente com 2016 verifica-se uma diminuição global de ocorrências em ambiente escolar, menos 6,9%, e de ocorrências de natureza criminal, menos 6,2%.

Em 2017, a Guarda Nacional Republicana e a Polícia de Segurança Pública registaram 3.286 crimes no interior das escolas e 1.210 no exterior dos estabelecimentos de ensino.

Em Lisboa foram registados 3.173 ilícitos e no Porto 898, seguindo-se Setúbal com 582 ocorrências ilícitas, Aveiro (385), Faro (333), Braga (322), Leiria (232), Coimbra (176), Açores (133), Madeira (115), Évora (110), Santarém (92), Vila Real (78) e Portalegre (77).

Nos distritos de Viseu, Castelo Branco e Beja foram registados 66 casos em cada, enquanto na Guarda e em Bragança as autoridades registaram 62 casos em cada um. O distrito com menos ocorrências é o de Viana do Castelo (38).

O RASI reúne os indicadores de criminalidade registados pela Guarda Nacional Republicana, Polícia de Segurança Pública, Polícia Judiciária, Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, Polícia Marítima, Autoridade de Segurança Alimentar e Económica, Autoridade Tributária e Aduaneira e Polícia Judiciária Militar.

Teixeira Correia

(jornalista)


Share This Post On
468x60.jpg