Aljustrel: Conductor será juzgado por triple homicidio en accidente. Conducir bajo los efectos de las drogas.


El Ministerio Público (MP) de Ourique acusó a un hombre, de 32 años de edad, Aljustrel naturales, de tres delitos de homicidio negligente y uno de conducción peligrosa de un vehículo de carretera, después de una violenta colisión frontal que ocurrió cerca de esa aldea.

O individuo conduzia um viatura que chocou frontalmente com outro veículo originando três mortes. Sujeito ao teste de despistagem de substâncias psicotrópicas, o indivíduo acusou a presença no sangue de cocaína, cannabinóides e metilenodioximetanfetamina (MDMA).

El accidente ocurrió alrededor de las 17,00 horas do dia 5 Octubre 2020, la carretera nacional (EN) 383, en Aljustrel, e envolveu um veículo ligeiro de passageiros, um BMW conduzido por Diogo L. onde viajavam quatro pessoas, e um ligeiro de mercadorias fechado.

A segunda das viaturas, onde viajavam dois irmãos, un hombre de 51 años y una mujer 48 años de edad, depois da colisão seguida de despiste e capotamento, ardeu e os dois ocupantes morreram carbonizados.

Dos días más tarde, un individuo 29 anos que seguia no BMW e que tinha sido transportado de helicóptero para o Hospital de São José, en Lisboa, viria também a falecer.

Neste veículo viajavam para além da vítima mortal e de Diogo, que foi transportado para o Hospital de Beja onde viria a ser sujeito a uma intervenção cirúrgica e duas mulheres, de 25 y 28 años de edad, quien sufrió heridas leves.

Según la acusación a la que tuvo acceso JN, o MP sustenta que o acidente se ficou a dever ao facto da viatura de Diogo ter “transposto a marca longitudinal, linha mista continua e descontinua, saiu da sua via (cortando a curva) e invadiu a via de trânsito contrária, vindo a embater com a parte frontal no veículo contrário”.

Ha aprendido el Lidador Noticias (LN), último día 22 Enero, depois de recuperar da cirurgia, Diogo foi chamado pela GNR para prestar declarações, habiendo sido enviado al silencio, tendo sido constituído arguido mediante termo de identidade e residência (TIR).

Além dos quatro crimes de que está acusado, o arguido arrisca ainda uma contra-ordenação, por não possuir seguro de responsabilidade civil, uma vez que o MP extraiu uma certidão que remeteu à Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária.

O julgamento vai realizar-se no Tribunal de Beja, durante a primeira quinzena do próximo mês de outubro, com recurso a um Coletivo de Juízes, arriesgando una pena de prisión superior a cinco años.

Teixeira Correia

(periodista)


Compartir este mensaje en
468x60.jpg