Serpa: Bloco de Esquerda leva reversão da gestão do Hospital à Assembleia da República.


O Grupo Parlamentar do Bloco de Esquerda apresenta hoje ma Assembleia da República, um projeto de resolução, em que recomenda ao Governo do PS, a reversão da gestão do Hospital de Serpa, da Misericórdia para a Gestão Pública, decidida pelo Executivo de Pedro Passos Coelho.

Hospital Serpa_800x800O PSD e o CDS entregaram inúmeros hospitais à Santa Casa da Misericórdia, entre os quais se encontra o Hospital de São Paulo, em Serpa. A contestação das populações levou a não demonstração de interesse público nessas entregas, e à reversão dos processos dos hospitais de S. João da Madeira e de Santo Tirso.

Houve, no entanto, três hospitais que não conseguiram ficar a salvo deste plano ideológico: são eles os hospitais de Serpa, de Anadia e de Fafe, entregues a gestão privada no final de 2014.

No documento remetido ao Parlamento, o Bloco de Esquerda (BE) lembra que a unidade hospitalar chegou a disponibilizar consultas de especialidade em cirurgia, medicina, ortopedia e oftalmologia, possuía bloco operatório, farmácia, laboratório de análises clínicas, internamento, serviço de raios-x e transporte de utentes para fisioterapia, prestando serviços fundamentais à população, não só do concelho de Serpa, mas de toda a região.

No entanto, o desinvestimento dos últimos anos traduziu-se em cortes constantes e encerramentos de valências e serviços. O Hospital ficou sem bloco operatório porque a tutela decidiu não contratar médicos para substituir os dois cirurgiões que, entretanto, saíram do serviço.

No mesmo sentido, a tutela decidiu transferir para Beja consultas de especialidade de cirurgia, medicina interna, ortopedia e oftalmologia; decidiu encerrar o laboratório, transformando-o num posto de recolha.; decidiu criar uma pequena unidade de cuidados continuados, com seis camas, mas para tal, acabou com o internamento hospitalar; decidiu não contratar um radiologista para o serviço de raios-x, motivo pelo qual este ficou inoperacional.

Segundo o BE, a entrega de hospitais públicos à gestão privada das misericórdias não acautela o interesse público nem apresenta racional financeiro, como o próprio Governo reconheceu nos casos dos hospitais de Santo Tirso e de São João da Madeira.

No projeto de resolução, o Grupo Parlamentar do Bloco de Esquerda propõe que a Assembleia da República recomende ao Governo que: Desenvolva as ações necessárias tendentes a assegurar a gestão pública do Hospital de Serpa, o Hospital de Serpa recupere as valências e os serviços encerrados e que são necessários às populações e que sejam contratados os médicos, enfermeiros e auxiliares necessários para o bom funcionamento do Hospital de Serpa.

Teixeira Correia

(jornalista)


Share This Post On
468x60.jpg