Opinião (Rogério Copeto): O CIBERBULLYING E A INDIGNAÇÃO NAS REDES SOCIAIS
Mai19

Opinião (Rogério Copeto): O CIBERBULLYING E A INDIGNAÇÃO NAS REDES SOCIAIS

Duas imagens divulgadas nas redes sociais, na semana passada, colocaram o país a falar novamente nos fenómenos do bullying e do ciberbullying. Primeiro foi a imagem que ridicularizava um concorrente a um programa de televisão e depois um vídeo de agressões entre adolescentes. Rogério Copeto Tenente-Coronel da GNR, Mestre em Direito e Segurança e Auditor de Segurança Interna Chefe da Divisão de Ensino/ Comando da Doutrina e Formação A última grande discussão sobre os fenómenos do bullying e do ciberbullying tinha ocorrido em 2011, quando foi divulgado um vídeo de duas adolescentes a espancar uma terceira, tendo na altura chocado a generalidade das pessoas e o assunto ter sido abordado até à exaustão. Por coincidência também nessa altura tinha sido apresentada uma proposta na Assembleia da República, que acabou por caducar, para inclusão no Código Penal do crime de bullying, como crime público, uma vez que o fenómeno não está tipificado na legislação penal, sendo considerado como bulllying, as ofensas à integridade física, as injurias e as ameaças, crimes que para serem investigados necessitam que seja apresentada queixa. Na semana passada mais uma vez o assunto foi trazido à discussão, primeiro com a ridicularização do candidato número 5295 do concurso Ídolos da SIC, que cantou um tema da cantora Rihanna, tendo aquando da difusão da sua prestação, aparecido caracterizado com duas enormes orelhas. A imagem do concorrente nº 5295, com umas orelhas excepcionalmente grandes, assim que foi difundida nas redes sociais tornou-se imediatamente viral e gerou uma enorme revolta em todos os cibernautas, por ridicularizar de forma gratuita aquele concorrente. A SIC lamentou o sucedido “…pois não foi sua intenção ferir susceptibilidades…”, mas o candidato nº 5295, de nome Alexandre e com 16 anos de idade, diz-se vítima de bullying, não aceitou as desculpas e garante que vai processar a SIC, porque por vergonha deixou de ir à escola, não sabe quando voltará a ter coragem para voltar e exige ser indemnizado por isso. Para o Alexandre não foi o fato da sua prestação não ter corrido como pretendia, tendo o júri lhe dito que desafinou um bocado, quando cantou o tema “Diammonds” da Rihanna, apesar de sabermos que os júris deste tipo de programas, podem ser bastante mauzinhos e até existem alguns, cuja imagem de marca é ser bully. O que fez o Alexandre não querer sair de casa foi a divulgação das imagens nas redes sociais, ou seja o cibberbullying. O segundo episódio que fez correr muita tinta nas redes sociais e nos OCS, foi a divulgação de um vídeo onde duas adolescentes agridem um terceiro adolescente, enquanto são incentivadas por outros. O vídeo assim que foi...

Ler Mais