Beja: Número de nepaleses no distrito foi o que mais cresceu nos últimos 10 anos.


Os nepaleses, indianos e outros asiáticos, com exceção dos chineses são os residentes legais em Portugal cujo número mais cresceu nos últimos 10 anos.

No entanto as maiores comunidades no distrito são de outros cidadãos da Europa, na grande maioria alemã, seguida da romena, segundo os dados estatísticos divulgados pela Pordata.

Os números revelam que que os nepaleses passaram em 2008 do zero, para 1015 em 2018, enquanto que os indianos que também eram zero, somam o ano passado 825 cidadãos.

No distrito de Beja, o total de cidadãos mais que duplicou na última década, registando 9731 estrangeiros, sendo que 62,93% deles residem no concelho de Odemira.

O concelho do Litoral Alentejano, é também maioritário na população de nepaleses (98,44%-1015 cidadãos em 1031), indianos (96,36%-795 em 825), outros países asiáticos como o Bangladesh, Paquistão, Sri Lanka (91,39%-1052 em 1151) e outros países da Europa, com destaque para aos alemães (83,31%-1947 em 2337).

O concelho de Beja também é bastante proliferado por cidadãos de diversas origens, com particular destaque para africanos. Guiné Bissau (79,77%-142 cidadãos em 178), Angola (72,97%-64 em 74), outros países africanos como Gambia e Mali (54,25%-51 em 94), Cabo Verde (39,49%-47 em 119) e Cinha (37,93%-99 em 261).

Finalmente outro destaque vai para a comunidade romena cuja maior colónia está o concelho de Ferreira do Alentejo (32,36%-414 cidadãos em 1279), seguindo-se os municípios de Odemira e Beja.

Os concelhos do distrito de Beja com menos estrangeiros residentes são Barrancos (17), Alvito (80), Mértola (113), Aljustrel (114) e Vidigueira (132).

Teixeira Correia

(jornalista)


Share This Post On
468x60.jpg