Vidigueira: Um casal de professores foi mordido por cão vadio enquanto faziam caminhada.
Mai13

Vidigueira: Um casal de professores foi mordido por cão vadio enquanto faziam caminhada.

Um casal, o homem de 43 anos e a mulher de 42 anos, foi atacado e mordido por um cão vadio, ao final da tarde de segunda-feira, perto das ruínas de São Cucufate, em Vila de Frades, concelho de Vidigueira, quando faziam a sua habitual caminhada, por entre caminhos agrícolas e vinhedos. O ataque do canídeo de grande porte, ao que tudo indica um rafeiro alentejano, aconteceu cerca das 19.30, quando marido e mulher, ambos professores do ensino secundário, caminhava na companhia do filho de 10 anos, que levava ao colo o seu pequeno cão. A mulher foi mordida na perna direita e tem que andar apoiada em moletas, já o marido apresenta diversas mordidelas no braço direito, em diversas partes do tronco e ainda na perna direita. “Mal nos viu, o cão não ladrou e atacou de imediato. Pareceu-me que ia atacar o nosso cão e tive receio de morder no meu filho e coloquei-me à sua frente para o defender”, disse a mulher que pediu para não ser identificada. Depois de gritarem ao filho para se esconder, enquanto a mulher correu durante cerca um quilómetro, até chegar à Estrada Nacional 258, que liga Vidigueira a Alvito, conseguiu pedir ajuda. “O sangue escorria por todos os lados, mas não me lembro de ter dores”, contou a professora. Enquanto uma condutora chamava o 112 e a GNR, um homem foi ajudar o marido que já tinha dominado o animal. Escondido e aterrorizado estava o filho, que depois viria a ser encontrado pela mãe, sem ter sofrido qualquer ferimento. Apesar de terem tentado prender o este soltou-se e voltou a atacar o casal e o condutor que os ajudou, o que levou a que se refugiassem no carro e deixassem o local. O casal foi conduzido ao Hospital de Beja onde foram observados e medicados, tendo ontem apresentado queixa, na expectativa do proprietário ser descoberto, identificado e responsabilizado. O animal continua a monte, apesar do trabalho de busca da GNR. Teixeira Correia...

Ler Mais