Beja: 21 mortos nas estradas do distrito durante 2017. ASPIG insiste na reativação da BT da GNR.


O número de mortos em 2017 no distrito de Beja, foi o baixo baixo dos últimos três anos. Perderam a vida 21 pessoas. No país registou-se o inverso, o ano com  mais mortes nas estradas.

Vinte e uma pessoas perderam a vida (foto do acidente na EN260, onde um taxista perdeu a vida perto de Serpa) durante o ano de 2017, nas estradas do distrito de Beja, nos 2.113 acidentes. Foi o ano com menos vítimas mortais nos últimos três anos, menos cinco do que em 2016 e menos 14 do que em 2015. Ao invés, 2017 foi o ano em que se registaram mais acidentes do distrito, 2.113, mais 85 do que em 2016 e mais 121 do que em 2015.

Face aos números de acidentes, mortos e feridos graves registados nas estradas de Portugal, a Associação Sócio – Profissional Independente da Guarda (ASPIG) veio a público reiterar que a estratégia adoptada para a redução da sinistralidade “não surtiu o efeito esperado”, voltando a apelar aos partidos políticos para que “a reativação da Brigada de Trânsito da GNR”.

Em comunicado a ASPIG, não se conforma com o facto de no ano passado (2017) terem morrido 509 pessoas nas estradas portuguesas, mais 64 do que em 2016, o que inverte uma tendência de queda (do numero de vitimas mortais) que se registava há praticamente vinte anos.

A evolução da sinistralidade rodoviária em 2017 veio demonstrar que os objetivos políticos, traçados para a redução da sinistralidade rodoviária, não surtiram o efeito que era esperado e, pelos vistos, os sucessivos “alertas” desta associação para o erro crasso que foi a extinção da Brigada de Trânsito da GNR (Unidade especial da GNR, com Comando único, com “provas dadas” no combate à sinistralidade rodoviária, na fiscalização, ordenamento e disciplina do trânsito, na uniformização de procedimentos, a nível nacional, e na formação contínua dos militares que faziam parte do seu efetivo), deram em nada.

Não admira, por isso, que, agora, o Parlamento queira ouvir o Sr.º ministro da Administração Interna sobre esta matéria.

A ASPIG, apela aos partidos políticos, especialmente ao PS, para que se empenhem na reativação da Brigada de Trânsito da GNR pois é essa – na opinião desta associação – uma das mais importantes valências na “luta”, com eficácia e eficiência, contra a sinistralidade rodoviária.


Share This Post On
468x60.jpg