Homenagem: Orlando Alexandre recebe Medalha de Mérito Desportivo.


O antigo ciclista e diretor-desportivo natural da Funcheira, concelho de Ourique, recebe hoje a Medalha de Mérito Desportivo atribuído pela Câmara Municipal da Moita.

Orlando vive há várias décadas em Chão Duro, concelho da Moita, e o Executivo daquele Município decidiu atribuir-lhe a medalha municipal pela sua carreira desportiva e dedicação aos clubes do concelho.

Atualmente com 72 anos, Orlando deixou a terra natal aos 10 anos, porque depois de almocreve (jornaleiro que fazia de tudo no campo), o pai foi trabalhar para os Caminhos-de-Ferro no Barreir e foi aqui que ganhou a paixão pelas bicicletas, tendo cinco anos depois comprado uma “pedaleira” em ferro. 

Fez a primeira Volta a Portugal com 18 anos, tendo o clube pago a outro militar para ocupar o seu lugar na guerra colonial em Moçambique. Em 1973, último ano como ciclista profissional correu a Volta à Espanha, que viria a ser ganha pelo mítico Eddy Merckx. Depois foi mecânico, mas é como massagista que acompanha Joaquim Agostinho na sua carreira em França: “foram três anos excecionais”, diz.

Lousa, Sporting, Louletano, Tavira, Tróiamarisco e Porta da Ravessa, foram equipas onde esteve como diretor-desportivo, mas, para Orlando Alexandre marcante foi a passagem pela Sicasal/Acral, que considerou “a grande revolução do ciclismo português, pelas condições que deu a corredores e staff”, remata.

Em 2001 coloca ponto final no ciclismo: “nunca mais fui a provas. Foi uma página importante que virei na vida”, sustenta. Virou-se para o futebol e foi como massagista que passou 10 anos no Pinhalnovense.

Em 2021, vinte anos depois regressou ao ciclismo como massagista da equipa do Almodôvar/ Delta Cafés/ Crédito Agrícola.

A cerimónia pública de atribuição das Medalhas de Mérito e outras condecorações vai decorrer esta terça-feira, pelas 17,30 horas, Feriado Municipal, na Praça da República, na Moita.

Teixeira Correia

(jornalista)


Share This Post On
468x60.jpg