Mértola: Bombeiros recebem nova ambulância de transporte de doentes.


Em dia de aniversário Bombeiros de Mértola, riram e choraram. De manhã receberam uma nova ambulância. De tarde um autotanque capotou. Dois bombeiros sofreram ferimentos ligeiros.

Os Bombeiros Voluntários de Mértola (BVM) viram a sua frota reforçada ontem, depois da Associação de São Bartolomeu dos Alemães em Lisboa (ASBAL) ter oferecido uma ambulância de transporte de doentes não urgentes (ABTD), por altura da comemoração dos 48 anos da corporação.

A nova viatura vem colmatar uma necessidade dos BVM no transporte de doentes residentes na parte velha da vila, que além de ser uma população idosa, vive em ruas muito estreitas, sinuosas e de difícil acesso.

Helmfried Hoster, presidente do Conselho Fiscal da ABTD, que custou a totalidade dos 30.400 euros que custou a nova ambulância, lembrou “a componente social da instituição e a feliz coincidência da ligação a Mértola e ao concelho”, por via do complexo mineiro de São Domingos, desejando que a mesma “cumpra os objetivos de ajuda à população”, rematou.

A presidente dos BVM, Maria do Céu Andrade, deixou o repto à autarquia “para a necessidade de adquirir um novo autotanque”, tendo o vereador da Proteção Civil, Mário Tomé, garantido que “a mesma está ser negociada e chegará à corporação a médio prazo”, concluiu.

No próximo fim-de-semana realiza-se em Mértola o Festival Islâmico e a nova ambulância ontem recebida estará a postos para alguma eventualidade que ocorra na parte antiga da vila onde decorre o evento.

Os Bombeiros Voluntários de Mértola, foram fundados a 17 de abril de 1971, tem um Corpo Ativo co posto por 45 operacionais, 33 dos quais são assalariados, e o comandante interino é Jorge Santos, segundo comandante, que ascendeu ao cargo depois da saída do anterior responsável operacional.

Associação de São Bartolomeu dos Alemães em Lisboa (ASBAL)

Na cerimónia além de Helmfried Hoster, presidente do Conselho Fiscal da ASBAL, fez-se representar pelo presidente da Direção, Constantin Ostermann von Roth e pelo secretário, Geraldo Roth, que fizeram a entrega à direção da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Mértola, do documento que comprovava o pagamento da totalidade da viatura.

Maria do Céu Andrade, presidente da Direção BVM

“Temos uma equipa que é um exemplo de solidariedade e voluntarismo, que faz muito com tão poucos recursos. Os objetivos traçados têm sido cumpridos mas, pretendemos fazer mais.

Os salários são baixos (n.d.r.: 33 assalariados), mas vamos fazer mais. Não queremos atingir uma situação de rotura financeira como no caso de Cuba. Termos as contas equilibradas é um esforço titânico.

Durante o mandato desta direção já foram adquiridas quatro ambulâncias e temos contado com a ajuda da Câmara de Mértola. É urgente um carro de abastecimento de água (autotanque). Aos bombeiros fica o reconhecimento de trabalharem ao calor, à chuva e ao fogo”.

Manuel Tomé, vereador da Proteção Civil C.M.Mértola

“Os bombeiros não são instituições de fácil gestão, mas em Mértola, têm-se ultrapassado todos os momentos, os bons e os maus.

A Câmara vai estar ao lado dos bombeiros. Já foi feito o pedido do novo autotanque e estamos a negociar o mesmo para dar uma resposta à corporação a médio prazo.

Deixo uma palavra de reconhecimento para o Jorge Santos, que tem assumi importantes responsabilidades. Um Homem que já foi número três e que agora é o comandante interino até à chegada do novo comandante”.

Dia que podia ter terminado em tragédia.

Dois bombeiros ficaram este sábado feridos, com ferimentos considerados ligeiros, na sequência do despiste de um autotanque, ocorrido 500 metros do perímetro urbano de Mértola, no distrito de Beja, logo após a passagem da ponte do rio Oeiras.

O alerta foi dado às 16,55 horas, quando a viatura, com capacidade de 33.500 litros, seguia para o reabastecimento de outras viaturas dos Bombeiros Voluntários de Mértola (BVM), que quinze minutos antes tinham saído para um incêndio agrícola que deflagrou no Monte Gabão, na freguesia de São Pedro de Sólis, a pouco mais de 30 quilómetros da sede de concelho.

O despiste, seguido de capotamento, ocorreu na Estrada Nacional 122, na ligação a Vila Real de Santo António, no sentido norte/ sul, tendo a viatura tombado para o lado direito, tendo a cabine “subido” a barreira em pedra.

Teixeira Correia

(jornalista)


Share This Post On
468x60.jpg